o único momento real...

STF egocêntrico, desmoralizado e manipulador acaba com a dignidade do Brasil

By Raymond

Postado em | Tags : , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

STF não legisla para o povo e sim para uma panelinha minoritária de corruptos e assassinos do povo

Nas redes sociais o povo demonstra insatisfação, não suporta mais ser dilacerado em sua dignidade e irá a rua pressionar o STF e retomar o que é seu por direito

O STF enquanto perseguem a população que reivindica legalmente melhores condições de vida ao povo com seus bonecos criativos e bem realistas, um safado rouba 100 milhões da previdência e o juiz do STF diz que sua prisão foi ato de ‘constrangimento ilegal’, e o povo assiste pasmo reclamando em de sua própria insanidade por redes sociais onde tudo passa feito relâmpago e sem consistência.

Enquanto eles rasgam e manipulam a constituição já toda remendada e votam mais leis que aumentem os próprios salários e benefícios e que os suportem no governo com imunidades e impunidades, e cadê as verdadeiras leis que o povo aguarda, leis como reforma política, 10 contra a corrupção, viabilidade da Lavajato para fazer um trabalho descente, que os ladões da nação pagem, o povo quer segurança, trabalho, saúde e ensino, cadê? Cadê o respeito as cláusulas pétreas?

Os três poderes foram feitos para representar o povo, mas estão representando interesses próprios e exclusos de uma nação sadia e honrada. Enquanto ladrões de galinha ficam 20 anos presos, assassinos do país tem liberdade e ficam em casa com todo conforto e mordomias exclusivas das classes mais abastadas do país.

Mesmo um leigo vê tais insanidades que apontam para ações politicamente orquestradas deste bando de marionetes que segundo Olavo de Carvalho são os ‘traidores’ do povo e, em verdade, se eu fosse listar aqui todas as improbidades legislativas ocorridas talvez não houvesse espaço nesta matéria, os leitores iriam ficar de saco cheio e enojados. Como Lula falou, um bando de acovardados, eles tem mesmo é rabo preso e incompetência.

 

 

No RJ, salário de juízes podem chegar a R$ 150 mil

Publicado por Sindicato dos Servidores da Justiça do Rio Grande do Sul

O salário, mais os inúmeros penduricalhos agregados ao contracheque, pode levar um juiz, mesmo que ainda que em início de carreira, a receber salários que variam de R$ 40 mil a R$ 150 mil. Esta é a situação do Judiciário do RJ, mas que se repete em outros estados. A folha de subsídios do TJRJ mostra a remuneração de R$ 24.117,62 é figurativa. Alguns magistrados chegam a receber cerca de R$ 400 mil por ano em “vantagens eventuais”.

As informações estão na folha de pagamentos, que o próprio TJ divulgou em obediência à Resolução 102 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Um desembargador chegou a receber, em dezembro/2011, um salário de cerca de R$ 511 mil. Outro, no mesmo mês, teve depósitos de R$ 462 mil, além do salário. No total, 72 desembargadores receberam mais de R$ 100 mil.

Em novembro de 2011, 107 dos 178 desembargadores receberam valores acima de R$ 50 mil. Em setembro/2011, 120 desembargadores receberam mais de R$ 40 mil e 23 foram contemplados com mais de R$ 50 mil. Dezenas receberam mais que R$ 80 mil.

Auxílio tudo

Os dados mostram que, além dos salários, os magistrados têm direito a inúmeros benefícios, como auxílio-creche, auxílio-saúde, auxílio-locomoção, ajuda de custo, ajuda de custo para transporte e mudança, auxílio-refeição, auxílio-alimentação, só para citar alguns.

Também desfrutam de montanhas de vantagens eventuais, como gratificação hora-aula, adicional de insalubridade, adicional noturno, gratificação de substituto, terço constitucional de férias, gratificação de Justiça itinerante, correção abono variável, abono de permanência, parcela autônoma de equivalência, indenização de férias.

Frente a este exemplo, não é de admirar que o Judiciário, como um todo, se rebele tanto contra mecanismos de transparência e que se propõem a dar mais transparência ao Poder. É preciso ficar claro para onde e para quem está sendo destinado o maior percentual do orçamento do Poder.

 

Juiz sueco usa bicicleta e trem para ir à Corte, Presidência do TRF-3 usa carro sueco de luxo

Um juiz do Supremo Tribunal da Suécia pedala diariamente até a estação ferroviária e toma o trem para chegar à Corte, em Estocolmo.

O presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, com sede em São Paulo, tem à disposição um automóvel de luxo sueco (Volvo), com motorista.

Reportagem de Cláudia Wallin, da Rede Bandeirantes, transmitida de Estocolmo, revelou em outubro passado que o magistrado sueco, no topo da carreira, não tem carro oficial, não tem motorista, e nem secretária particular (*).

Não goza de imunidades. Não há foro privilegiado. Os juízes suecos não moram em apartamentos funcionais, não recebem auxílio-moradia e nem auxílio-saúde. Ganham salários entre R$ 12 mil e R$ 25 mil.

No Brasil, o teto salarial do Judiciário é de R$ 28.059,00 –que corresponde ao subsídio dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Os desembargadores do TRF-3 recebem auxílio-alimentação e assistência pré-escolar (até seis anos).

Os magistrados suecos são proibidos de aceitar viagens e presentes.

Segundo a assessoria de imprensa do tribunal, o Volvo S/80 ano 2005 é de uso da presidência do TRF-3. Foi confiscado pela Receita Federal e entregue ao tribunal em 2009. Ou seja, durante a gestão da então presidente Marli Ferreira.

Ainda segundo a assessoria, três veículos Toyota Corolla XEI, ano 2009, adquiridos pelo tribunal, estão a serviço do corpo diretivo (presidente, vice-presidente e corregedor). Ou seja, tendo à disposição dois veículos oficiais, o presidente atual, Newton de Lucca, pode representar o tribunal a bordo de um Volvo ou de um Toyota.

Os 52 veículos de transporte institucional destinam-se aos 43 desembargadores. Alguns ficam na reserva para suprir aqueles que se encontram em manutenção e para transporte de ministros dos tribunais superiores em visita à corte.

Essa frota institucional é formada por 17 GM Vectra SD (ano 2010), 9 veículos Ford Focus (2011) e 26 Peugeot 307 SD (anos 2008 e 2009).

Os juízes federais da primeira instância não têm veículos oficiais à disposição.

 

Leia Mais

Fonte: Jusbrasil, Folha de São Paulo por Frederico Vasconcelos, Globonews, Jovem Pan e Youtube.

(Visited 24 times, 1 visits today)

About The Raymond

Related Posts

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Comment


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

btt