o único momento real...

Dilma doa estoque de feijão a Cuba e o brasileiro paga aumento de ±150% no grão

By Raymond

Postado em , | Tags : , , , , , , , , , , , , , , , ,

Governo Dilma ‘doa’ 625 toneladas de feijão do estoque público brasileiro para Cuba

Enquanto isso, famílias  brasileira sequer conseguem comer direito no Brasil em crise. É ou não um descalabro, e o povo brasileiro pagará o frete

Um leilão de contratação de frete para remoção de 625 toneladas de feijão para atender ao Programa de Doação Humanitária de Alimentos do Brasil à República de Cuba foi realizado na manhã desta quinta-feira (01/10). O produto será enviado em sacas de 50 quilos, de acordo com informações da Conab.

 

A contratação do serviço compreende o percurso rodoviário entre o local onde está armazenado o grão e o Porto Navegantes, ambos localizados dentro do Estado de Santa Catarina (SC), e a colocação do feijão dentro do navio.

O início dos embarques, no local de origem deverá ocorrer, impreterivelmente no dia 13 de outubro e todo o produto deve ser entregue no armazém portuário até o dia 23/10/2015.

Brasil ‘doa’ 25 mil toneladas de arroz a Cuba

Vista geral do centro de Havana: embarcação ‘MV Nahide’ transportará a carga que será descarregada nos portos de Havana e da cidade oriental de Santiago de Cuba

Havana – O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) anunciou nesta quinta-feira a chegada a Cuba de uma carga de 25 mil toneladas de arroz doadas pelo Brasil para apoiar programas de assistência social.

Esta doação é parte de um fundo de 710 mil toneladas de alimentos que foi criado pelo Brasil em 2011 para apoiar as operações do PMA em nível mundial.

A embarcação ”MV Nahide” transportará a carga que será descarregada nos portos de Havana e da cidade oriental de Santiago de Cuba, detalha a nota divulgada pelo PMA na capital cubana.

”Por meio de um eficiente processo de irmanação, o Brasil doa os alimentos enquanto Cuba cobre os custos de transporte e armazenamento dos alimentos, que para esta carga ascendem a US$ 2,7 milhões, sendo esta a primeira vez que o Governo cubano participa deste processo”, explica.

A nota também destaca que Cuba entrega ao PMA há mais de 12 anos uma contribuição anual de 2,5 mil toneladas de açúcar.

”Estamos muito agradecidos ao Governo e ao povo do Brasil por esta contribuição.”, disse o diretor regional do PMA, Gemmo Lodesani, durante uma recente visita à ilha.

Também indicou que o Brasil vem desempenhando um papel cada vez maior na assistência humanitária e que esta nova doação ”confirma seu compromisso com os quais mais necessitam. A generosidade de Cuba, compartilhando o que tem, é também admirável” acrescentou.

A nota ressalta que o Brasil doou mais de 300 mil toneladas de alimentos a 35 países através do PMA desde 2011 e que suas contribuições aumentaram de US$ 1 milhão em 2007 para mais de US$ 82 milhões durante 2012, o que colocou o país entre os dez maiores doadores dessa agência humanitária.

Preço do feijão bate recorde

Preço do feijão bate recorde (foto:internet|divulgação)

Preço do feijão bate recorde e previsão é de mais aumento

O preço do feijão vai subir consideravelmente nos próximos dias para o consumidor. Fatores climáticos levaram a uma quebra da safra nas principais regiões produtoras do País e fez o produto ficar escasso no mercado. Em alguns estabelecimentos, o feijão do tipo carioca já está em falta.

Veroni Baldissera, responsável pelo setor de compras da Agronegócio Baldissera, de Realeza, relata que houve uma quebra muito grande na safra de feijão em Goiás. Outro detalhe, segundo ele, é que a safrinha de feijão no Sudoeste foi muito menor, porque os produtores optaram pela segunda safra de soja em detrimento do feijão. “A única vantagem nesse momento é que o dólar está baixando para importar o produto da Argentina e da Bolívia”, ressalta.

 

Na terça-feira, 7, o preço da saca de 60 quilos de feijão carioca praticado na Bolsinha de São Paulo bateu recorde em valores reais. Conforme informações do boletim do site Bolsinha Informativos, um lote de carioca foi negociado por R$ 510 a saca. “Na lavoura, podemos dizer que a saca de 60 kg do carioca está sendo negociada a R$ 400 e o feijão preto a R$ 200.”

De acordo com ele, a tendência é que para o consumidor o quilo do carioca chegue a R$ 12 e o preto a R$ 6. Outro agravante para o brasileiro é que o governo não tem estoque de feijão. Ou seja, o aumento nas gôndolas é inevitável.
“No ano passado, eu comprei feijão carioca a R$ 10 a saca para mandar pra São Paulo para ser usado como ração. Neste ano, o mesmo produto está R$ 250. É mercadoria boa, só um pouco mais escura porque secou muito no sol”, conta Baldissera.

Não é só o feijão que sofrerá considerável aumento de preço. Com a alta da soja e do milho (R$ 82,50 e R$ 42, respectivamente, na cotação de ontem do Deral), a ração para o trato de animais também encareceu. “Tem relatos já, como em Três Barras, de frangos e suínos que estão sem comida. Com isso, o preço da carne de frango e de porco deverá passar a de bovino.”

O gerente do Ítalo Centro, Gilvane Menezes, afirma que tem feijão preto a R$ 2,99 ainda, mas isso em função do estoque do estabelecimento. “Mas temos informação que irá aumentar, por causa da redução da oferta. Na verdade, esse é mais um item que vai encarecer a cesta básica.”

O comerciante Matheus Pereira da Silva informa que tem circulado em vários supermercados e confirmou que há locais em que o preço está R$ 11. “O feijão é um produto que não pode faltar na mesa do brasileiro. O jeito é fazer um estoque em casa ou substituir a fonte de ferro na alimentação.”
Denilso Baldo, da Rede Forte, afirma que no atacado o feijão preto está custando R$ 4,50 e o feijão carioca acima de R$ 7,50. Ele também ressalta que haverá aumento no preço do arroz, em virtude da queda de 30% na produtividade no Rio Grande do Sul.

No Mano Manfroi 2, a gerente Luciani Berdoncini afirma que algumas marcas de feijão carioca já estão em falta. “Quando a população fica sabendo que terá aumento, já corre comprar, provocando falta nas prateleiras.” Conforme ela, houve um aumento de 42% no preço e ainda pode ocorrer mais porque há dificuldade de comprar.

A pesquisa da cesta básica, feita pelo curso de Ciências Contábeis da Unioeste, também constatou alta do preço do feijão preto, que é o pesquisado. A elevação ocorreu nos três municípios: Dois Vizinhos (3,79%), Francisco Beltrão (1,77%) e Pato Branco (4,38%). Segundo o boletim, a justificativa da alta de preços, observada tanto na pesquisa nacional quanto na realizada nos três municípios do Sudoeste do Paraná, está nos problemas de ordem climática. O frio no Sul e as chuvas ocorridas no Centro Sul contribuíram para reduzir a oferta do produto e para a elevação do seu preço.

Leia Mais

Fonte: Follha Centro Sul, Youtube, FacebookExame por Renato Santiago.

(Visited 83 times, 1 visits today)

About The Raymond

Related Posts

4 Thoughts to Dilma doa estoque de feijão a Cuba e o brasileiro paga aumento de ±150% no grão

  1. Jose Rangel Responder 16 de junho de 2016 at 16:06

    Que materia tendenciosa e sem compromisso com a verdade. A produçao de feijao do Brasil, safra 2015/2016 e’ de 3 MILHOES de toneladas de FEIJAO de uma safra de mais de 200 MILHOES de toneladas de graos. As 625 toneladas correspondem a 0,02% (dois centesimos por cento) da produçao da safra.

    #
    • ReiNasc Responder 17 de junho de 2016 at 13:19

      O Primeiro Segundo apenas posta matérias de fontes (informadas em todas matérias) confiáveis e verídicas, a “tendencia” é formada conforme o ponto de vista do leitor, bem normal, nossa mente é condicionada tendenciosamente desde que nascemos e isto é um dos problemas que causam o teor quântico do desmoronamentos dos sistemas teoricamente cônscio e harmônicos, o “fator humano”.
      Acredito que seu ponto de vista da “matéria tendenciosa” seja pelo fato do caro colega não acreditar na capacidade de abnegação, doação e compaixão do brasileiro para com seus amigos vizinhos, não se preocupe, acontece com todos.
      Grato pela sua posição.

      #
  2. Mário Gehrke Responder 19 de junho de 2016 at 11:30

    Não sei quem é José Rangel , e certamente nem goste de feijão, deve ter na mente dele, que é alimento de pobre. O feijão é aqui no sul indispensável. Não foi só o feijão que foi doado aos amigos de Lula e Dilma, mas foi arroz também.

    #
  3. Sônia Responder 16 de julho de 2016 at 23:43

    Sinceramente ,Dilma e o PT deve morar em Cuba.

    #

Deixe uma resposta

Comment


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

btt